A Terceira Internacional e o Comintern

Em março de 1919, em São Petersburgo, Lênin abriu o congresso da Terceira Internacional Comunista. Este foi o mais famoso e mais duradouro congresso internacional de trabalhadores. A sua missão de ‘lutar com todos os meios disponíveis, incluindo a força armada, pela derrubada da burguesia internacional e pela criação de uma República Soviética internacional, como um estágio de transição até a abolição completa do Estado’ era altamente subversiva pois atentava contra a soberania das nações de todo o mundo. A Terceira Internacional criou um Comitê Executivo – Comintern – para dirigir a luta internacional, incluindo um jornal homônimo cujo primeiro número saiu em maio de 1919. Logo depois do congresso o Comintern enviou emissários a diversos países, visando criar novos partidos comunistas e trazer os partidos comunistas e socialistas já existentes para debaixo do seu guarda-chuva.

Apesar do objetivo internacional do Comintern, nos primeiros anos do regime comunista soviético os problemas internos ganharam prioridade e a expansão internacional ficou em segundo plano. A própria expansão internacional priorizou os países industrializados, seguindo a especificação Marxista de que a revolução internacional viria dos trabalhadores da indústria.

O Partido Comunista dos Estados Unidos (CPUSA) foi fundado em 1919, em Chicago. Na na época da sua fundação este contava com sessenta mil membros, incluindo anarquistas e outros radicais de esquerda. O mesmo promovia o ‘internacionalismo do proletariado’ e uma rede de inteligência, a qual governo americano chamava de ‘espionagem’. Em 1927, a sede do CPUSA mudou-se para Nova Iorque, juntamente o ‘Daily Worker’, o seu porta-voz oficial. Logo depois da Segunda Guerra Mundial, em 1946, o CPUSA passou para a clandestinidade, e seus documentos eram mantidos escondidos ou destruídos.

Embora a América Latina também tivesse um movimento sindical iniciante, a atuação inicial do Comintern foi dificultada pelo fato da maioria dos trabalhadores ser católicos praticantes que não aprovavam o ateísmo embutido no Marxismo. A Argentina e o Chile, na ocasião os países mais adiantados da América Latina, foram os primeiros a receber a atenção do Comintern. O Partido Comunista do Brasil (PCB) só foi fundado em 1922, bem depois do Chile e da Argentina. Diversas informações sobre a conexão brasileira com o regime soviético podem ser encontradas no artigo de Carlos Ilich Santos Azambuja, ‘Histórias quase esquecidas’, publicado no jornal eletrônico Mídia Sem Máscara.
A partir de 1992, os arquivos do Kremlin foram disponibilizados à Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, visando sua transcrição para o alfabeto latino e subsequente tradução para o inglês. Como resultado deste projeto a verdadeira extensão da atuação do Comintern nos Estados Unidos e nos outros países do Ocidente foi revelada, incluindo a relação das diversas representações clandestinas do Comintern nos Estados Unidos.


Jo Pires-O’Brien é a editora de PortVitoria: www.portvitoria.com – revista eletrônica dedicada às comunidades falantes de português e espanhol de todo o mundo.

***

Check out PortVitoria, a biannual digital magazine of current affairs, culture and politics centered on the Iberian culture and its diaspora.

PortVitoria offers informed opinion on topics of interest to the Luso-Hispanic world. Its content appears in Portuguese, Spanish &/or English.

Help PortVitoria to continue by putting a link to it in your blog or Facebook account.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s