A ‘impessoa’ de Orwell e Stalin

A ‘impessoa’ é uma das diversas sátiras de George Orwell ao regime despótico de Stalin, descrita no seu livro 1984. Uma ‘impessoa’ é alguém que foi riscado do mapa em represália por ter contrariado a ordem vigente em Oceania, recriando, na ficção, uma prática real na União Soviética de Stalin, voltada a punir impertinências e, ao mesmo tempo, impedir que a memória de um indivíduo seja usada para incitar insurgência conta o Partido. Syme era um entusiasta do Partido, dedicado ao desenvolvimento da nova linguagem (novilíngua) e era, também, um membro da Comissão de Xadrez. Um dia, ele falta ao trabalho, e, quando torna a faltar nos próximos dias, alguns colegas comentam a sua ausência. Entretanto, quando diversos dias passam sem que ele retorne, ninguém mais menciona o seu nome. Winston, o protagonista, é a única pessoa que desconfia que algo pode ter acontecido. Ele resolve ir até o vestíbulo do Departamento onde havia uma placa com os nomes dos membros da Comissão de Xadrez. Examina a placa e não nota nada de anormal, nenhum nome riscado. Numa segunda inspeção, nota que havia um nome a menos na placa. Todos os registros da existência de Syme desaparecem, e ele perde, até mesmo, o passado da própria existência. A missão do Ministério da Verdade, onde Winston trabalhava, era destruir os registros dos prisioneiros executados e substituí-los por outros falsos.

A verdade sobre o regime de Stalin

Nikkita Krushchev (1894-1971), que substituiu Stalin após a morte deste em 1953, expôs os terríveis crimes deste e descreveu-o como ‘violento’, ‘caprichoso’ e ‘despótico’. Denunciou os grandes purgos da década de 1930 e mostrou como no final da mesma quase todos os individuos que tinham conexões com a revolução de 1917 foram mortos em execuções sumárias após serem coagidos a confessar.

O que aconteceu a Nikolai Yezhov, Chefe da Polícia Secreta soviética e o braço direito, dá uma ideia da maldade de Stalin. O próprio Yezhov era um pau-mandado de Stalin e o seu trabalho consistia de encontrar formas de implicar os inimigos de Stalin a fim de que fossem processados em julgamentos shows e em seguida executados. Implicado nas intrigas do governo, Yexhov caiu na desgraça, e quando isso aconteceu, Stalin não se contentou em mandar executá-lo mas ordenou que os registros que o ligavam a Yexhov fossem destruídos. Entretanto, uma fotografia onde Stalin e Yexhof apareciam lado a lado escapou da destruição. e A mesma fotografia tinha uma correspondente no arquivo oficial, embora sem a imagem de Yezhov.

 

 

Figura 1. Uma ‘impessoa’ soviética que evapora: a imagem de Nikolai Yezhov foi removida depois que ele virou um desafeto de Stalin e foi executado em 1940. (Fonte: Wikipédia. https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Newspeak_words).

 

Fazer de alguém uma ‘impessoa’ é um castigo pior do que a morte pois em adição a matar a pessoa, destrói o registro de sua vida. A morte é banal uma vez que todos morrem. A vida sim é que é importante pois através dela o ser humano pode fazer uso integral de suas capacidades.

Anúncios